Animar, articular e promover a vitalidade do carisma na realidade das comunidades, na ótica da pedagogia salesiana, em sintonia com a Igreja , cuidando da formação das irmãs e leigos/as para que no horizonte da conversão Pastoral sejamos com os jovens especialmente os mais pobres , missionárias de alegria e de esperança.

O Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora é, desde a sua origem, um Instituto missionário, seja a ação cotidiana em qualquer lugar que uma FMA se encontre, seja em uma missão específica a serviço da evangelização e educação dos jovens em terras distantes. Na Inspetoria Nossa Senhora Aparecida temos Irmãs que são missionárias inter e ad gentes, realizamos também Missões Jovens na certeza de que todo cristão é chamado a “Ser Missionário”.

A dedicação educativa é o coração da missão salesiana feminina. Toda Filha de Maria Auxiliadora sabe que coloca em jogo sua vida por Deus e pelos jovens, procurando qualificar a sua presença com intervenções sempre mais adequadas à realidade contemporânea.

Com a escola, de todo tipo e grau, as Irmãs respondem até hoje à exigência de uma educação sistemática, de uma formação crítica e, em muitas nações, permitem que os jovens, sobretudo das camadas populares, adquiram os instrumentos para terem acesso aos circuitos da cultura.

O Oratório, intuição salesiana excelentemente educativa porque valoriza todo o tesouro dos jovens. A promoção humana é o primeiro objetivo da atividade oratoriana nos países mais pobres, enquanto em contextos industrializados é a grande demanda dos jovens no tempo livre. A agregação dos jovens, com suas buscas profundas de vida, continua sendo o grande desafio da educação.

Obras para crianças, adolescentes, jovens em situação de risco. Casas-lar, comunidades de acolhimento, centros de acolhida através de um percurso que tem como ponto de partida a situação concreta dos destinatários, sua condição de precariedade, de abandono, procurando levar a pessoa ferida ao encontro da liberdade e da maturação.

A educação da jovem é uma escolha prioritária que se delineia nos diversos Países com intervenções sempre mais precisas: da promoção de cooperativas femininas nas missões, à recuperação das garotas que, nas periferias das grandes cidades são vítimas fáceis da prostituição, à inserção no trabalho, até as iniciativas culturais e ao “apoio” para que as jovens saibam lutar com maior consciência pela própria dignidade e pela elaboração de uma cultura no feminino.